O conhecimento de Jesus Cristo

040 o conhecimento de jesu christi

Muitas pessoas conhecem o nome de Jesus e sabem algo sobre sua vida. Eles celebram seu nascimento e comemoram sua morte. Mas o conhecimento do Filho de Deus é muito mais profundo. Pouco antes de sua morte, Jesus orou por seus seguidores por este conhecimento: "Mas esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a quem enviaste, Jesus Cristo" (João 17,3).

Paulo escreveu o seguinte sobre o conhecimento de Cristo: "Mas o que foi ganho para mim, eu considerei mal por amor de Cristo; sim, agora também considero tudo como dano contra o conhecimento todo superior de Cristo Jesus, meu Senhor, por amor de quem perdi tudo e considero isso uma imundície, para ganhar a Cristo "(Filipenses 3,7-8).

Para Paulo, conhecer a Cristo é o essencial, tudo o mais não era importante, tudo o mais ele considerava lixo, lixo a ser jogado fora. O conhecimento de Cristo é tão radicalmente importante para nós quanto para Paulo? Como podemos conseguir isso? Como isso se expressa?

Este conhecimento não é algo que existe apenas em nossos pensamentos, ele inclui uma participação direta na vida de Cristo, uma crescente comunhão de vida com Deus e seu Filho Jesus Cristo por meio do Espírito Santo. É tornar-se um com Deus e seu Filho. Deus não nos dá esse conhecimento de uma só vez, mas nos dá aos poucos. Ele quer que cresçamos em graça e conhecimento. (2. Petr. 3,18).

Existem três áreas de experiência que permitem o nosso crescimento: o rosto de Jesus, a Palavra de Deus, o serviço e o sofrimento. 

1. Cresça na face de Jesus

Se queremos saber algo exatamente, então olhamos exatamente para isso. Observamos e investigamos se podemos tirar conclusões. Se quisermos conhecer uma pessoa, então olhamos especialmente para o rosto. Assim é com Jesus. Na face de Jesus pode-se ver muito dele e de Deus! O reconhecimento do rosto de Jesus é principalmente uma questão do nosso coração.

Paulo escreve sobre "olhos iluminados do coração" (Efésios 1,18) que podem perceber esta imagem. O que olhamos intensamente também nos influenciará, o que olhamos com devoção em que seremos transformados. Duas passagens bíblicas apontam para isso: "Pois o Deus, que chamou a luz para brilhar nas trevas, também a iluminou em nossos corações para a iluminação com o conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo" (2. Corinthians 4,6).

 

“Mas todos nós refletimos a glória do Senhor com o rosto descoberto e somos transformados na mesma imagem, de glória em glória, isto é, pelo Espírito do Senhor” (2. Corinthians 3,18).

São os olhos do coração que, através do Espírito de Deus, nos dão um vislumbre do rosto de Jesus e nos fazem ver algo da glória de Deus. Essa glória é refletida em nós e nos transforma na imagem do Filho.

Assim como buscamos conhecimento na face de Cristo, somos transformados à sua imagem! «Para que Cristo habite nos vossos corações pela fé, para que, enraizados e fundados no amor, compreendais com todos os santos o que é largura, comprimento, altura e profundidade, e conheçais o amor de Cristo, todos eles o Conhecimento transcende, para que você possa ser preenchido com a plenitude de Deus. Vamos agora nos voltar para a segunda área de experiência para o crescimento na graça e no conhecimento, a Palavra de Deus. O que sabemos e podemos saber de Cristo, temos experimentado por meio de sua palavra "(Efésios 3,17-19).

2. Deus e Jesus se revelam por meio da Bíblia.

«O Senhor comunica com a sua palavra. Quem recebe sua palavra, o recebe. Em quem sua palavra permanece, permanece nele. E todo aquele que permanece na sua palavra, permanece nela. Hoje, quando alguém busca com tanta frequência por conhecimento ou deseja comunidade sem submissão incondicional às diretrizes de sua palavra, isso não pode ser enfatizado o suficiente. Um conhecimento saudável de Cristo está ligado às palavras saudáveis ​​do Senhor. Só isso cria uma fé saudável. É por isso que Paulo diz a Timóteo: "Segure firmemente a imagem (padrão) de palavras saudáveis" (2. Timóteo 1:13). (Fritz Binde «A perfeição do corpo de Cristo», página 53)

Com Deus, as palavras não são palavras "justas", elas são vivas e eficazes. Eles desenvolvem uma força tremenda e são fontes de vida. A Palavra de Deus quer nos separar do mal e purificar nossos pensamentos e nossas mentes. Essa limpeza é exaustiva, nossa mente carnal deve ser mantida sob controle com armas pesadas.

Leiamos o que Paulo escreveu sobre isso: "Pois as armas da nossa cavalaria não são carnais, mas poderosas em Deus para destruir fortalezas, de modo que destruímos os fundamentos (falácias) e toda altura que se levanta contra o conhecimento de Deus, e todos os que estão capturando pensamentos de obediência a Cristo, também estão prontos para vingar qualquer desobediência, uma vez que sua obediência tenha se tornado completa (2. Corinthians 10,4-6).

Essa obediência à qual Paulo está se referindo é uma parte importante da purificação. Purificação e conhecimento andam de mãos dadas. Somente à luz do rosto de Jesus podemos reconhecer a contaminação e devemos nos livrar dela: "Se o espírito de Deus nos mostra uma falta ou algo que não está de acordo com Deus, então somos chamados à ação! A obediência é necessária. Deus quer que esse conhecimento seja realizado em uma caminhada piedosa. Sem uma mudança real, tudo permanece teoria, o verdadeiro conhecimento de Cristo não chega à maturidade, ele murcha "(2. Corinthians 7,1).

3. Crescer por meio do serviço e do sofrimento

Somente quando olhamos e experimentamos o ministério de Jesus para nós e seu sofrimento, o significado humano e o serviço aos outros têm significado. Servir e sofrer são excelentes fontes para reconhecer a Cristo, o Filho de Deus. Servir é uma passagem dos presentes recebidos. É assim que Jesus serve, ele passa o que recebeu do Pai. Desta forma, devemos também ver o nosso ministério na igreja. O ministério que Jesus faz é o padrão para todos nós.

"E ele deu alguns aos apóstolos, alguns aos profetas, alguns aos evangelistas, alguns aos pastores e mestres, para equipar os santos para a obra do serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e conhecimento do Filho de Deus "(Efésios 4,11).

Somos endireitados pelo serviço mútuo para o lugar e posição certos no corpo de Jesus. Mas ele como chefe, distrai tudo. A cabeça emprega os vários dons da igreja para trazer união e entendimento. A realização do Filho de Deus não envolve apenas crescimento pessoal, mas também é crescimento no grupo. As tarefas do grupo são múltiplas e, a serviço dos outros, há outro aspecto que leva ao crescimento do conhecimento de Cristo. Onde servido também está sofrendo.

“Esse serviço mútuo traz sofrimento, tanto pessoal como com e para os outros. Quem quiser evitar esse triplo sofrimento, sem dúvida sofrerá perdas de crescimento. Temos que experimentar o sofrimento pessoalmente porque temos que perder nossa própria vida satisfeita ao sermos crucificados, morrendo e sepultados com Cristo. Na medida em que o Ressuscitado cresce em nós, essa renúncia se torna um fato »(Fritz Binde« A perfeição do Corpo de Cristo », página 63).

resumo

«Mas quero que saibais que grande luta tenho por ti e pelos que vivem em Laodicéia e por todos os que não me viram face a face na carne, para que os seus corações sejam admoestados, unidos no amor e enriquecidos com toda a certeza. , para o conhecimento do mistério de Deus, que é Cristo, em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão escondidos "(Colossenses 2,1-3).

de Hannes Zaugg