Fé em Deus

116 acredita em deus

Fé em Deus é um dom de Deus, enraizada em seu Filho encarnado e iluminados pela sua Palavra eterna por meio do testemunho do Espírito Santo nas Escrituras. A fé em Deus faz com que os corações e mentes das pessoas receptivas ao dom da graça de Deus, a salvação. Através de Jesus Cristo e pela fé Espírito Santo para a comunhão espiritual e lealdade ativa a Deus nosso Pai nos capacita. Jesus Cristo é o autor e consumador da nossa fé, e pela fé, não pelas obras, ganhamos a graça da salvação. (Ef 2,8; Actos 15,9; 14,27; Romanos 12,3; John 1,1.4; Actos 3,16; Romanos 10,17; Hebrew 11,1; Romanos 5,1-2; 1,17; 3,21-28; 11,6; Ef 3,12; 1 2,5 Co ;. Hebrew 12,2)

Reaja com fé a Deus

Deus é grande e bom. Deus usa seu poder para promover sua promessa de amor e graça para com seu povo. Ele é manso, amoroso, lento para a ira e rico em graça.

Isso é bom, mas como isso é relevante para nós? Que diferença faz em nossas vidas? Como respondemos a um Deus que é ao mesmo tempo poderoso e manso? Nós respondemos pelo menos de duas maneiras.

Vertrauen

Quando percebemos que Deus tem todo o poder para fazer o que ele quer, e que ele sempre usa esse poder como uma bênção para a humanidade, então podemos ter absoluta confiança de que estamos em boas mãos. Ele tem a capacidade, bem como o propósito declarado de fazer todas as coisas, incluindo nossa rebelião, nosso ódio e nossa traição a ele e contra um ao outro, por nossa salvação. Ele é completamente confiável - digno de nossa confiança.

Quando estamos no meio de provações, doenças, sofrimento e até mesmo morrendo, podemos ter certeza de que Deus ainda está conosco, que ele se preocupa conosco e que ele tem tudo sob controle. Pode não parecer assim e certamente nos sentimos no controle, mas podemos ter certeza de que Deus não ficará surpreso. Ele pode transformar todas as situações, todos os infortúnios no nosso melhor.

Nunca precisamos duvidar do amor de Deus por nós. «Mas Deus mostra o seu amor por nós no fato de que Cristo morreu por nós quando ainda éramos pecadores» (Romanos 5,8). “Foi assim que reconhecemos o amor que Jesus Cristo deu a vida por nós” (1 João 3,16). Podemos contar com o Deus que nem sequer poupou seu filho para nos dar tudo o que precisamos para a felicidade eterna através de seu filho.

Deus não enviou mais ninguém: O Filho de Deus, essencial para a Divindade, tornou-se homem, para que ele pudesse morrer por nós e ressuscitar dos mortos. (Hebreus 2,14). Não fomos redimidos pelo sangue de animais, não pelo sangue de um homem bom, mas pelo sangue de Deus que se tornou homem. Toda vez que tomamos o sacramento, somos lembrados da extensão de seu amor por nós. Podemos ter certeza de que ele nos ama. Ele
ganhou a nossa confiança.

"Deus é fiel", diz Paulo, "que não deixa você experimentar sua força, mas acaba com a tentação para que você possa suportá-la" (1 Coríntios 10,13). «Mas o Senhor é fiel; fortalecerá e protegerá você do mal » (2 Tessalonicenses 3,3). Mesmo se "somos infiéis, ele permanece fiel" (2 Timóteo 2,13). Ele não muda de idéia sobre nos querer, nos ligar, ser gentil conosco. "Vamos nos apegar à confissão de esperança e não vacilar; porque é fiel quem prometeu a ela » (Hebreus 10,23).

Ele é um compromisso para conosco, fez um pacto para nos redimir, para nos dar a vida eterna, para nos amar para sempre. Ele não quer ficar sem nós. Ele é confiável, mas como devemos respondê-lo? Estamos preocupados? Estamos lutando para sermos dignos de seu amor? Ou confiamos nele?

Nunca precisamos duvidar do poder de Deus. Isso é mostrado na ressurreição de Jesus dentre os mortos. Esse é o Deus que tem o poder sobre a própria morte, poder sobre todos os seres que ele criou, poder sobre todos os outros poderes (Colossenses 2,15). Ele triunfou sobre todas as coisas através da cruz, e isso é evidenciado por sua ressurreição. A morte não poderia segurá-lo porque ele é o príncipe da vida (Atos 3,15).

O mesmo poder que Jesus ressuscitou dentre os mortos também nos dará vida imortal (Romanos 8,11). Podemos ter certeza de que ele tem o poder e o desejo de cumprir todas as suas promessas para nós. Podemos confiar nele em tudo - e isso é bom porque é tolice confiar em qualquer outra coisa.

Sozinhos nós falharemos. Por si só, até o sol irá falhar. A única esperança está em um Deus que tem maior poder que o sol, maior poder que o universo, que é mais fiel que tempo e espaço, cheio de amor e fidelidade para nós. Temos essa esperança certa em Jesus, nosso Redentor.

Fé e confiança

Todos os que crerem em Jesus Cristo serão salvos (Atos 16,31). Mas o que significa acreditar em Jesus Cristo? Até Satanás acredita que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. Ele não gosta, mas sabe que é verdade. Além disso, Satanás sabe que Deus existe e que recompensa aqueles que o procuram (Hebreus 11,6).

Então, qual é a diferença entre nossas crenças e as crenças de Satanás? Muitos de nós sabemos uma resposta de Tiago: A verdadeira fé se manifesta através de ações (Tiago 2,18-19). O que fazemos mostra o que realmente acreditamos. O comportamento pode ser evidência de crença, embora algumas pessoas obedeçam por razões erradas. Até Satanás opera sob as restrições impostas por Deus.

Então, o que é crença e como ela difere de "manter a verdade"? Penso que a explicação mais simples é que fé salvadora é confiança. Confiamos em Deus para cuidar de nós, nos fazer o bem em vez do mal, para nos dar a vida eterna. Confiar significa saber que Deus existe, que ele é bom, que ele tem o poder de fazer o que quer e confiar que ele usará esse poder para fazer o que é melhor para nós. Confiança significa uma disposição que nos submetemos a ela e estamos prontos para obedecê-la - não por medo, mas por amor. Se confiamos em Deus, nós o amamos.

Confiança mostra o que fazemos. Mas o ato não é confiança e não cria confiança - é meramente o resultado da confiança. A verdadeira fé é essencialmente a confiança em Jesus Cristo.

Um presente de Deus

De onde vem esse tipo de confiança? Não é algo que possamos produzir de nós mesmos. Não podemos nos persuadir ou usar a lógica humana para construir um caso frouxo e sólido. Nós nunca teremos tempo para lidar com todas as possíveis objeções, todos os argumentos filosóficos sobre Deus. Mas somos obrigados a tomar uma decisão todos os dias: vamos confiar em Deus ou não? Tentar adiar a decisão é uma decisão em si - ainda não confiamos nela.

Todo cristão tomou uma decisão em um ponto ou outro em confiar em Cristo. Para alguns, foi uma decisão bem considerada. Para outros, foi uma decisão ilógica tomada por razões erradas - mas foi definitivamente a decisão certa. Não podíamos confiar em mais ninguém, nem em nós mesmos. Sozinhos, nós estragávamos nossas vidas. Também não podíamos confiar em outras autoridades humanas. Para alguns de nós, a fé foi uma escolha que fizemos por desespero - não poderíamos ir a outro lugar senão a Cristo (João 6,68).

É normal que nossa fé inicial seja uma fé imatura - um bom começo, mas não um bom lugar para parar. Nós temos que crescer em nossa fé. Como um homem disse a Jesus:
«Eu acho; ajude minha incredulidade! » (Marcos 9,24). Os próprios discípulos tiveram algumas dúvidas, mesmo depois de adorarem o Jesus ressuscitado (Mateus 28,17).

De onde vem a fé? Ele é um presente de Deus. Efésios 2,8 nos diz que a salvação é um dom de Deus, o que significa que a fé que leva à salvação também deve ser um dom.
Nos é dito em Atos 15,9 que Deus purificou os corações dos crentes pela fé. Deus trabalhou por dentro. Foi ele quem abriu "a porta da fé" (Atos 14,27). Deus fez isso porque é ele quem nos permite acreditar.

Não confiaríamos em Deus se ele não nos desse a capacidade de confiar nele. O pecado corrompeu as pessoas para acreditar ou confiar em Deus por sua própria força ou sabedoria. Essa é a razão pela qual a fé não é uma "obra" que nos qualifica para a salvação. Não alcançamos fama porque nos qualificamos - crença significa simplesmente receber o presente, ser grato pelo presente. Deus nos dá a capacidade de receber o presente, de desfrutar o presente.

digno de confiança

Deus tem uma boa razão para acreditar em nós, porque há alguém que é completamente confiável para acreditar e ser salvo por. A fé que ele nos dá é fundada em seu Filho, que se fez carne para nossa salvação. Temos boas razões para acreditar porque temos um salvador que comprou a salvação para nós. Ele fez tudo o que é necessário, de uma vez por todas, assinado, selado e entregue. Nossa fé tem uma base sólida: Jesus Cristo.

Jesus é o começo e a conclusão da fé (Hebreus 12,2), mas ele não faz o trabalho sozinho. Jesus apenas faz o que o Pai quer e trabalha em nossos corações através do Espírito Santo. O Espírito Santo nos ensina, nos convence e nos dá fé (João 14,26; 15,26; 16,10).

Pela palavra

Como Deus nos dá? (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) Fé? Geralmente acontece através do sermão. "Então, a fé vem da pregação, mas a pregação vem da Palavra de Cristo" (Romanos 10,17). O sermão está na palavra escrita de Deus, a Bíblia, e está na palavra falada de Deus, seja em um sermão na igreja ou em um simples testemunho de uma pessoa para outra.

A palavra do evangelho nos fala sobre Jesus, a palavra de Deus, e o Espírito Santo usa essa palavra para nos iluminar e, de alguma maneira, nos permite confiar nessa palavra. Às vezes, isso é chamado de "testemunho do Espírito Santo", mas não é como uma testemunha em tribunal a quem podemos fazer perguntas.

É mais como uma mudança interna que é rearranjada e nos permite aceitar as boas novas que são pregadas. Ela se sente bem; Embora ainda possamos ter dúvidas, acreditamos que podemos viver de acordo com essa mensagem. Podemos construir nossas vidas nisso, podemos tomar decisões com base nisso. Isso faz sentido. É a melhor escolha possível. Deus nos dá a capacidade de confiar nele. Ele também nos dá a capacidade de crescer em fé. O depósito da fé é uma semente que está crescendo. Ele capacita e fortalece nossas mentes e emoções para entender mais e mais do evangelho. Ele nos ajuda a entender mais e mais sobre Deus, revelando-se através de Jesus Cristo. Para usar uma imagem do Antigo Testamento, começamos a andar com Deus. Nós vivemos nele, pensamos nele, acreditamos nele.

Dúvida

Mas a maioria dos cristãos luta às vezes com sua fé. Nosso crescimento nem sempre é suave e consistente - acontece por meio de exames e perguntas. Para alguns, surgem dúvidas por causa de uma tragédia ou por causa de um grave sofrimento. Para outros, é a prosperidade ou os bons momentos que, subliminarmente, tentam confiar em mais coisas materiais que Deus. Muitos de nós encontraremos dois tipos de desafios à nossa fé.

As pessoas pobres geralmente têm mais fé do que as pessoas ricas. As pessoas que são submetidas a constantes provações sabem que, à parte de Deus, não têm esperança, não têm escolha a não ser confiar nele. As estatísticas mostram que as pessoas pobres dão uma porcentagem maior de sua renda à igreja do que as pessoas ricas. Parece que a crença deles (embora não seja perfeito) é mais consistente.

O maior inimigo da fé, parece, é quando tudo corre bem. As pessoas são tentadas a acreditar que a força de sua inteligência as fez realizar muito. Eles perdem a atitude infantil de dependência de Deus. Eles confiam no que têm em vez de Deus.

As pessoas pobres estão em melhor situação para aprender que a vida neste planeta é cheia de questões e que Deus é o menos em questão. Eles confiam nele porque tudo o mais provou ser indigno de confiança. Dinheiro, saúde e amigos - todos são instáveis. Nós não podemos confiar nela.

Você só pode confiar em Deus, mas, mesmo que seja esse o caso, nem sempre temos a evidência que gostaríamos de ter. Então, temos que confiar nele. Como Jó disse: Mesmo que ele me mate, quero confiar nele (Jó 13,15). Somente ele oferece esperança para a vida eterna. Só ele oferece esperança de que a vida faça sentido ou tenha um propósito.

Parte do crescimento

No entanto, às vezes lutamos com dúvidas. Isso é simplesmente parte do processo de crescimento na fé, aprendendo a confiar mais em Deus na vida. Vemos as escolhas que temos pela frente e, novamente, escolhemos Deus como a melhor solução.

Como Blaise Pascal disse séculos atrás, embora acreditemos por nenhuma outra razão, devemos pelo menos acreditar, porque Deus é a melhor aposta. Se nós o seguirmos e ele não existir, então não perderemos nada. Mas se nós não o seguirmos e ele existir, então nós perdemos tudo. Então, não temos nada a perder senão ganhar tudo crendo em Deus vivendo e pensando que ele é a realidade mais segura do universo.

Isso não significa que vamos entender tudo. Não, nunca vamos entender tudo. Crer é confiar em Deus, mesmo que nem sempre entendamos. Podemos adorá-lo, mesmo que tenhamos dúvidas (Mateus 28,17). A salvação não é uma competição de inteligência. A fé que nos salva não provém de argumentos filosóficos que têm resposta para qualquer dúvida. A fé vem de Deus. Se confiarmos em saber a resposta para todas as perguntas, não confiaremos em Deus.

A única razão pela qual podemos estar no reino de Deus é através da graça, através da fé em nosso Salvador Jesus Cristo. Quando confiamos em nossa obediência, confiamos em algo errado, algo não confiável. Temos que reformar nossa fé em Cristo (Permita que Deus reformar nossa fé) e somente a Ele. Leis, mesmo boas leis, não podem ser a base de nossa salvação. A obediência aos mandamentos da Nova Aliança não pode ser a fonte de nossa segurança. Somente Cristo é confiável.

À medida que crescemos na maturidade espiritual, muitas vezes nos tornamos mais conscientes de nossos pecados e pecaminosidade. Percebemos até que ponto estamos longe de Deus, e isso também pode nos fazer duvidar de que Deus realmente enviaria seu Filho para morrer por pessoas tão corruptas quanto nós.

A dúvida, por grande que seja, deve nos levar de volta a uma fé maior em Cristo, pois somente nEle temos alguma chance. Não há outro lugar onde possamos nos voltar. Em suas palavras e ações, vemos que ele sabia exatamente o quanto éramos corruptos antes de morrer pelos nossos pecados. Quanto melhor nos vemos, mais vemos a necessidade de nos entregarmos à graça de Deus. Só ele é bom o suficiente para nos salvar de nós mesmos, e só ele nos libertará de nossas dúvidas.

comunidade

Acontece acreditando que temos um relacionamento frutífero com Deus. É pela fé que oramos, pela fé que adoramos, pela crença de que ouvimos suas palavras em sermões e na comunidade. A fé nos capacita a compartilhar em comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Através da fé, somos capazes de manifestar nossa fidelidade a Deus através de nosso Salvador Jesus Cristo, através do Espírito Santo trabalhando em nossos corações.

Acontece acreditando que podemos amar outras pessoas. A fé nos liberta do medo do ridículo e da rejeição. Podemos amar os outros sem nos preocupar com o que eles vão fazer conosco, porque confiamos em Cristo, que Ele generosamente nos recompensa. Pela fé em Deus, podemos ser generosos para com os outros.

Acreditando em Deus, podemos colocá-lo em primeiro lugar em nossas vidas. Se acreditarmos que Deus é tão bom quanto ele diz, então o valorizaremos além de qualquer outra coisa, e estaremos dispostos a trazer os sacrifícios que ele pede de nós. Nós vamos confiar nele, e é crendo que vamos experimentar as alegrias da salvação. A vida cristã é uma questão de confiança em Deus do começo ao fim.

Joseph Tkach


pdfFé em Deus