Eu vou sair com isso?

Alguns fazem um jogo disso. Alguns fazem isso com pressa ou com medo. Alguns fazem isso de propósito, por maldade. A maioria de nós faz isso de vez em quando, fazemos isso o tempo todo ou por acidente. Nós tentamos não ser pegos fazendo algo que sabemos que não está certo.

Isto é especialmente claro ao dirigir um carro. Eu serei capaz de escapar se eu ultrapassar este caminhão no lado errado? Eu serei capaz de escapar se eu não parar completamente no Stop ou ainda dirigir no Yellow? Eu poderei escapar se exceder a velocidade - afinal, estou com pressa?

Às vezes, tento não ser pego enquanto cozinho ou costuro. Ninguém notará se eu usar outro tempero ou costurei um pedaço torto. Ou eu tento comer um pedaço extra de chocolate sem ser observado ou espero que minha desculpa esfarrapada para não praticar não seja descoberta.

Estamos sempre tentando escapar das coisas espirituais na esperança de que Deus não as notará ou ignorará? Obviamente, Deus vê tudo, então sabemos que não podemos nos safar com algo assim. A graça dele não cobre tudo?

No entanto, ainda tentamos. Poderíamos argumentar bem: estou me afastando de não orar hoje. Ou: estou me safando dizendo essas pequenas fofocas ou olhando para este site duvidoso. Mas estamos realmente nos safando dessas coisas?

O sangue de Cristo cobre os pecados de um cristão, o passado, presente e futuro. Isso significa que podemos fazer o que quisermos? Alguns fizeram esta pergunta depois de aprender que a graça não é a observância da lei de tudo o que é necessário para poder estar diante de Deus.

Paul responde com um retumbante No em Roman 6,1-2:
«O que queremos dizer agora? Devemos permanecer em pecado para que a medida da graça seja completa? Isso está longe! A graça não é uma licença para pecar. O autor da carta aos hebreus nos lembra: «tudo é revelado e descoberto diante dos olhos daqueles a quem devemos prestar contas» (4,13). Se nossos pecados estão tão distantes da memória de Deus quanto o leste do oeste, e a graça cobre tudo, por que ainda devemos ter que prestar contas de nós mesmos? A resposta a esta pergunta é algo que me lembro de ter ouvido muitas vezes no Ambassador College: «atitude».

“Quanto posso me permitir fugir?” Não é uma atitude que agrada a Deus. Não foi sua atitude quando ele fez seu plano para salvar a humanidade. Não era a atitude de Jesus quando ele foi à cruz. Deus deu e continua dando - tudo. Ele não está procurando um atalho, o requisito mínimo ou o que está atualmente cruzando seu caminho. Ele espera algo menos de nós?

Deus quer que vejamos uma atitude generosa, amorosa e abundante, mais do que o necessário. Se passarmos pela vida e tentarmos escapar com todo tipo de coisas, porque a graça cobre tudo, então teremos que dar muitas explicações.

de Tammy Tkach


pdfEu vou sair com isso?