Da escuridão para a luz

683 da escuridão para a luz O profeta Isaías relata que o povo escolhido de Israel será levado ao cativeiro. O cativeiro era mais do que escuridão, era uma sensação de abandono na solidão e em um lugar estranho. Mas Isaías também prometeu em nome de Deus que o próprio Deus viria e mudaria o destino das pessoas.

Nos dias do Antigo Testamento, o povo esperava o Messias. Eles acreditavam que ele os libertaria do cativeiro sombrio das trevas.

Cerca de setecentos anos depois, chegou a hora. O Emanuel prometido por Isaías, "Deus conosco", nasceu em Belém. Alguns judeus esperavam que Jesus libertasse o povo das mãos dos romanos, que ocupavam a terra prometida e a mantinha sob estrita mão.

Durante aquela noite, os pastores cuidaram de suas ovelhas no campo. Eles vigiavam o rebanho, protegendo-os dos animais selvagens e dos ladrões. Eles eram homens que faziam seu trabalho na escuridão total, mesmo à noite. Apesar de seu trabalho responsável, os pastores eram considerados estranhos à sociedade.

De repente, uma luz brilhante brilhou ao seu redor e um anjo anunciou o nascimento do Salvador aos pastores. O brilho da luz era tão forte que os pastores ficaram atordoados e assustados com um grande medo. O anjo consolou-a com as palavras: «Não tenhas medo! Veja, eu lhe falo da grande alegria que atingirá todas as pessoas; pois para vocês hoje nasceu o Salvador, que é o Senhor Cristo, na cidade de Davi. E isso é um sinal: você vai encontrar a criança embrulhada em fraldas e deitada na manjedoura »(Lucas 2,10-12).

O anjo mensageiro e com ele um grande grupo de anjos louvaram a Deus e o honraram. Depois que eles foram embora, os pastores partiram imediatamente com pressa. Eles encontraram a criança, Maria e José, exatamente como o anjo havia prometido. Depois de terem visto e experimentado tudo, contaram com entusiasmo a todos os seus conhecidos e louvaram e louvaram a Deus por tudo o que lhes foi dito sobre esta criança.

Essa história me comove e sei que, como os pastores, eu era uma pessoa marginalizada. Nasceu pecador e muito feliz pelo nascimento de Jesus, o Salvador. Não só isso, mas por meio de sua morte, sua ressurreição e por meio de sua vida, estou autorizado a participar de sua vida. Passei com ele das trevas da morte para a luz brilhante da vida.

Você também, caro leitor, pode, depois de ter experimentado isso, viver com Jesus em uma luz brilhante e louvá-lo e louvá-lo. O bom é fazer isso com uma multidão de crentes e compartilhar as boas novas com outros.

Toni Püntener