O pesado fardo do pecado

569 o pesado fardo do pecado Você já se perguntou como Jesus poderia dizer que seu jugo era suave e seu fardo leve, considerando o que ele suportou como o Filho de Deus nascido na carne durante sua existência terrena?

Nascido no Messias profetizado, o rei Herodes tentou matá-lo quando bebê. Ele ordenou que todas as crianças do sexo masculino em Belém com dois anos ou menos fossem mortas. Quando jovem, Jesus, como qualquer outro adolescente, foi exposto a todas as tentações. Quando Jesus anunciou no templo que ele era o ungido por Deus, as pessoas na sinagoga o expulsaram da cidade e tentaram empurrá-lo para baixo de uma borda. Ele disse que não tinha onde repousar a cabeça. Ele chorou amargamente diante da falta de fé de sua amada Jerusalém e foi continuamente prejudicado, duvidado e ridicularizado pelos líderes religiosos de seu tempo. Ele foi descrito como um filho ilegítimo, um bêbado de vinho, um pecador e até um falso profeta possuído por demônios. Ele viveu a vida inteira com a consciência de que um dia seus amigos o trairiam, o abandonariam e ele seria espancado e brutalmente crucificado por soldados. Acima de tudo, ele sabia que era seu destino enfrentar todos os pecados hediondos dos homens, a fim de servir como expiação para toda a humanidade. No entanto, apesar de tudo o que ele tinha que suportar, ele anunciou: "Meu jugo é suave e meu fardo é leve" (Mateus 11,30).

Jesus nos pede que o procuremos para encontrar descanso e alívio do fardo e do pecado. Jesus diz alguns versículos antes: «Tudo me foi dado por meu pai; e ninguém conhece o filho, mas apenas o pai; e ninguém conhece o pai como único filho e a quem o filho quer revelar » (Mateus 11,27).

Temos uma impressão fugaz do imenso fardo do povo que Jesus promete aliviar. Jesus revela a verdadeira face do coração paternal quando chegamos a ele com fé. Ele nos convida ao relacionamento íntimo e perfeito que o une sozinho ao Pai, no qual é indiscutível que o Pai nos ama e com esse amor somos sempre fiéis. "Mas esta é a vida eterna que eles reconhecerão você, quem você é o único Deus verdadeiro e quem você enviou, Jesus Cristo" (João 17,3) Durante sua vida, Jesus sempre enfrentou o desafio de resistir aos ataques de Satanás. Estes mostraram-se em tentação e angústia. Mas mesmo na cruz, ele permaneceu fiel ao seu mandato divino de salvar as pessoas quando suportou toda a culpa da humanidade. Sob o peso de todo pecado, Jesus, como Deus e ao mesmo tempo como pessoa moribunda, expressou seu abandono humano gritando: "Meu Deus, meu Deus, por que você me deixou?" Mateus (27,46).

Como sinal de sua confiança inabalável em seu pai, ele falou pouco antes de sua morte: "Pai, eu mando meu espírito em suas mãos!" (Lucas 23,46) Ele nos deu a entender que o pai nunca o abandonara, mesmo quando ele carregava o fardo do pecado de todas as pessoas.
Jesus nos dá a crença de que estamos unidos a ele em sua morte, sepultamento e ressurreição para uma nova vida eterna. Com isso, experimentamos verdadeira paz de espírito e liberdade do jugo da cegueira espiritual que Adão trouxe sobre nós com a Queda.

Jesus disse explicitamente com que finalidade e propósito ele veio até nós: "Mas eu vim para lhes trazer vida - vida em plenitude" (Johannes (10,10 Nova tradução de Genebra). Vida em plenitude significa que Jesus nos devolveu o verdadeiro conhecimento da natureza de Deus que nos separou dele por causa do pecado. Além disso, Jesus proclama que ele é "o reflexo da glória de seu pai e a imagem de sua natureza". (Hebreus 1,3). O Filho de Deus não apenas reflete a glória de Deus, mas ele próprio é Deus e irradia essa glória.

Que você reconheça com o Pai, seu Filho, em comunhão com o Espírito Santo, e experimente verdadeiramente plenamente essa vida cheia de amor, que Ele preparou para você desde o começo do mundo!

por Brad Campbell