O pesado fardo do pecado

569 o pesado fardo do pecado Você já se perguntou como Jesus poderia dizer que seu jugo era suave e seu fardo leve, considerando o que ele suportou como o Filho de Deus nascido na carne durante sua existência terrena?

Nascido como um Messias profetizado, o Rei Herodes o procurou quando ele era um bebê. Ele ordenou que todas as crianças do sexo masculino em Belém com dois anos de idade ou menos fossem mortas. Quando jovem, Jesus, como qualquer outro adolescente, enfrentou todas as tentações. Quando Jesus anunciou no templo que era ungido por Deus, as pessoas na sinagoga o expulsaram da cidade e tentaram empurrá-lo por uma saliência. Ele disse que não tinha onde reclinar a cabeça. Ele chorou amargamente diante da descrença de sua amada Jerusalém e foi continuamente difamado, questionado e zombado pelos líderes religiosos de seu tempo. Ele tem sido referido como um filho ilegítimo, um bêbado de vinho, um pecador e até mesmo um falso profeta possuído por demônios. Por toda a sua vida ele viveu sabendo que um dia seria traído por seus amigos, abandonado, espancado e brutalmente crucificado pelos soldados. Acima de tudo, ele sabia que seu destino era levar sobre si todos os pecados hediondos dos homens a fim de servir como expiação por toda a humanidade. No entanto, apesar de tudo o que ele teve que suportar, ele proclamou: "Meu jugo é suave e meu fardo é leve" (Mateus 11,30).

Jesus nos pede para irmos a ele para encontrar descanso e alívio do fardo e fardo do pecado. Jesus diz alguns versos antes: «Tudo me foi dado por meu Pai; e ninguém conhece o Filho, exceto o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e a quem o Filho o revelará »(Mateus 11,27).

Temos um vislumbre do imenso fardo sobre as pessoas que Jesus promete aliviar. Jesus nos revela a verdadeira face do coração paternal quando vamos a ele pela fé. Ele nos convida à relação íntima e perfeita que o une somente com o Pai, na qual está inequivocamente estabelecido que o Pai nos ama e sempre nos permanece leal com esse amor. "Mas a vida eterna é assim, que te conheçam, que tu és o único Deus verdadeiro e a quem enviaste, Jesus Cristo" (João 17,3Vez após vez, ao longo de sua vida, Jesus foi desafiado a resistir aos ataques de Satanás. Eles apareceram em tentações e aflições. Mas ele permaneceu fiel à sua comissão divina de salvar pessoas até na cruz quando carregou toda a culpa da humanidade. Sob o peso de todo o pecado, Jesus, como Deus e ao mesmo tempo como moribundo, expressou seu abandono humano gritando: "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" Mateus (27,46).

Como um sinal de sua confiança inabalável em seu pai, ele disse pouco antes de sua morte: "Pai, eu coloco meu espírito em tuas mãos!" (Lucas 23,46) Ele nos deu a entender que o Pai nunca o havia abandonado, nem mesmo quando ele carregava o peso do pecado de todas as pessoas.
Jesus nos dá a crença de que estamos unidos a ele em sua morte, sepultamento e ressurreição para uma nova vida eterna. Com isso, experimentamos verdadeira paz de espírito e liberdade do jugo da cegueira espiritual que Adão trouxe sobre nós com a Queda.

Jesus disse explicitamente o fim e o propósito pelo qual veio até nós: "Mas eu vim para lhes dar vida - vida em toda a sua plenitude" (João10,10 Nova tradução de Genebra). Vida em plenitude significa que Jesus nos devolveu o verdadeiro conhecimento da natureza de Deus, que nos separou dele por causa do pecado. Além disso, Jesus proclama que ele é "o reflexo da glória de seu Pai, e a semelhança de sua própria natureza" (Hebreus 1,3) O Filho de Deus não apenas reflete a glória de Deus, mas ele mesmo é Deus e irradia essa glória.

Que você reconheça com o Pai, seu Filho, em comunhão com o Espírito Santo, e experimente verdadeiramente plenamente essa vida cheia de amor, que Ele preparou para você desde o começo do mundo!

por Brad Campbell